Apresentação

Ecovilas

Durante o ECO 92, no Rio de Janeiro em 1995, num encontro histórico na Fundação Findhorn, o conceito de Ecovilas foi mundialmente lançado. Nessa ocasião nasce a Global Ecovillage Network – GEN, a Rede Global de Ecovilas, com sede na Dinamarca e filiais por todo o mundo. Atualmente, pelo mapa da GEN, são 463 ecovilas em funcionamento no mundo e 57 delas no Brasil, reunidas no Movimento Brasileiro de Ecovilas.

Segundo a ONU: “ Ecovilas são comunidades rurais ou urbanas de pessoas, que buscam integrar um ambiente social assegurador de um estilo de vida de baixo impacto ecológico. Para atingir este objetivo, as ecovilas integram vários aspectos de projeto ecológico, permacultura, construções de baixo impacto, produção verde, energia alternativa, práticas de fortalecimento de comunidade e muito mais.”

Ecovilas são assentamentos de pessoas que por princípios, buscam se integrar a natureza através de uma ocupação racional do solo, com um mínimo impacto ao terreno, construindo casas no modelo ecológico, usando materiais da região, sem modificar a configuração natural do ambiente, usando da permacultura e aproveitando o potencial local para a difusão da agricultura verde, orgânica e energética. Cada ecovila tenta ser independente na produção de energia limpa, utilizando da melhor oferta energética, seja a solar, eólica, hídrica ou magnética para chegar a esse fim.

Hidroponia, aquacultura e criação de animais de forma humanitária são as formas preferidas de instituiçãode uma ecovila produtiva e lucrativa, onde seus membros podem, além de sustentarem-se, produzir um excedente financeiro para investimentos e melhorias da comunidade.

O associativismo e o cooperativismo são as formas administrativas de uma ecovila, em que todos sendo sócios, produzam e mantenham a ecovila em plena produtividade, elevando o ideal cooperativista há uma oitava acima do esperado, posto que além do lucro, a ecovila seja uma excelência de vida aos seus moradores, que juntos, formam a cooperativa produtiva, seu corpo administrativo e a própria mão-de-obra.

A UNESCO declarou que o projeto de ecovilas faz parte das 100 melhores idéias para a qualidade de vida de todos os tempos.

Justificativa

Uma ecovila, em sendo um centro produtivo de materiais ecologicamente corretos, preserva o solo e o reconstitui, incentiva a produção de produtos naturais e nativos da região, aquecendo esse mercado regional com qualidade e preço, pois também distribui sua produção pela localidade que habita; e com isso, institui uma nova visão de uso e ocupação do solo através da permacultura integrativa homem-natureza; com métodos avançados de agricultura verde que não agride o meio ambiente, que em geral, permite maior produtividade qualitativa e uma mudança na mentalidade extrativista do produtor rural.

A bioconstrução é outro mote da ecovila, pois usando dos materiais abundantes da própria terra e arredores, produz casas 70% mais baratas que as convencionais, usando o tijolo ecológico feitos da terra local, o super adobe com lama e vegetação, pedra, madeira reflorestável, bambu e tudo o mais que a terra fornecer, assenta famílias por um custo menor que qualquer programa habitacional do planeta.

O tratamento dos próprios esgotos, dejetos animais e lixo das casas é outra meta da ecovila, pois emitindo lixo zero, produzindo gás por biodigestor, buscando a energia limpa do sol ou do vento, uma comunidade desonera o governo em milhões na coleta de lixo, produção de energia e uso de funcionários das prefeituras.

Hidroponia, aquaponia, aquacultura, agricultura verde, criação orgânica de animais, fruticultura natural são os métodos preferenciais das ecovilas, pois as levam à sustentabilidade imediatamente, criam um sistema de integração do homem com o ciclo das águas, produzindo numa escala mais ordenada, e produtos valorizados em todos os mercados de consumo pela qualidade, responsabilidade social e visão ecológica; que por si, representa uma reeducação da população através do consumidor final.

Tratar a própria água biologicamente, reaproveitar a água da chuva, poupar os mananciais e a transformação das águas cinzas e negras em adubos, são ambições de qualquer ecovila, pois o alicerce da sustentabilidade parte dos recursos hídricos, seu manejo e reutilização.

Nossa Ecovila do Caminho, com 100.000m² (quatro alqueires ), com 10 famílias assentadas, usando dos recursos descritos acima, promoverá os seguintes projetos ecológicos:

1- Emissão de lixo zero por transformação biológica, reciclagem de materiais reutilizáveis e sua comercialização;

2- Tratamento de águas cinzas e negras por biocompostagem, filtragem biológica e reutilização na irrigação e aquaponia;

3- Reaproveitamento, limpeza e reutilização das águas pluviais no ciclo produtivo das águas;

4- Uso de biodigestor no tratamento de esgoto e produção de biogás para cozinha, aquecimento de água e produção de energia;

5- Uso dos insumos do biodigestor (composto orgânico e chorume), para a revitalização e enriquecimento do solo;

6- Coleta e transformação de energia solar e aeólica em energia elétrica para consumo e venda de excedente à concessionária local;

7- Produção de horti-fruti por hidroponia integrada à piscicultura sem elementos artificiais num ciclo de águas naturais, onde as culturas se auto-apoiam, facilitando a produção e agregando valor ao produto final;

8- Manufatura de compotas e conservas do excedente das frutíferas pela própria comunidade, bem como artesanato e produtos de extração natural da região;

9- Bioconstrução de casas, galpões e áreas comuns por métodos naturais e recursos do próprio local de forma comunitária 70% mais baratas que as habitações usuais;

10- Criação de escola e cursos para os habitantes da região, estudantes e faculdades que queiram aprender os sistemas da ecovila de forma gratuita;

11- Promover a fixação do homem no campo e incentivar o êxodo das grandes cidades;

12- Preservar 10% de sua área para reflorestamento nativo com árvores originais da região;

13- Aumentar em até 30% da utilidade e uso do metro quadrado das propriedades;

14- Criação de comunidades independentes, auto-sustentáveis, produtivas, solidárias, associativas no sistema ecológico cooperativista.

Nos próximos 10 anos o planeta necessitará de 50% mais energia para viver, os custos de produção de alimentos acenam com um aumento de 30% para a sua produção e a necessidade de moradias vai triplicar; por isso, a visão de ecovilas é a saída mais implementável e revolucionária que existe no momento, que possa mitigar essas futuras necessidades planetárias de forma eficiente; não deixando de ver a sua utilidade social, natural, humana e política, como forma de novo paradigma para a redistribuição de renda, re-assentamento de famílias no campo e único método produtivo cooperativo capaz de fazer frente as grandes corporações, que desumanas, excluem o homem comum do seu direito a viver bem e feliz!

“Trabalhar com sustentabilidade é plantar um presente que garanta a subsistência das novas gerações num planeta que pede socorro e se aquece a cada dia. Pois melhor que plantar árvores, despoluir rios, proteger animais, é semear a consciência de que a garantia da vida é respeitar as fronteiras da natureza”.

Nildo Lage